domingo, março 21, 2010

O Triste Destino da Política Brasileira (2)

Esta semana, li pela Internet que o Delúbio Soares, o tesoureiro do mensalão, foi escolhido como patrono de uma turma de formandos de um curso de administração no interior de Goiás. Eu não imagino como que um grupo de jovens tenha a capacidade de utilizar o espaço de um momento tão importante na vida para homenagear um político corrupto, inclusive com direito a fotos e discurso sobre ética e moral.

Mas o que mais me chocou foi esse trecho da reportagem:

O ex-tesoureiro petista foi homenageado pela turma de futuros administradores por seu principal talento - a capacidade de arrumar dinheiro. Conta o presidente da comissão de formatura: “A gente ficou sabendo que o Delúbio gostava de participar desse tipo de festa, inclusive ajudando financeiramente. Fomos até sua fazenda e fizemos o convite para ele ser o nosso padrinho. Ele topou na hora e, aí, a gente perguntou se ele poderia dar uma ajudazinha nas despesas. Ele perguntou de quanto. Deixamos por conta dele”. Dias depois do convite, em novembro, o ex-tesoureiro depositou 6 000 reais, o equivalente a 13% das despesas da festa, na conta da comissão. “A gente sabe que a fama dele é horrível, mas fazer o quê, se ele pode bancar a festa?”, justifica Cezar Barros.


Isso corrobora minha tese de que o nível intelectual e moral do nosso Congresso é uma perfeita amostra representiva do nível intelectual e moral do nosso eleitorado.

2 comentários:

Diego de Paula disse...

Nossa...!!

Lastimável as palavras desse Cezar Barros ai.

Quem sou eu pra julgar alguém, nem gosto de fazer isso, mas o que se pode esperar de um profissional que faz uma declaração dessas.

##

Anônimo disse...

Concordo plenamente com sua colocação.

Fernando