segunda-feira, dezembro 17, 2007

Encontro ANPEC em Recife (2) - Quinta Feira

Na quinta-feira, acompnhei meus colegas do Cedeplar na seção sobre Ciclos Eleitorais e Política Monetária no Brasil. Não é um tema ao qual estou habituado, e senti isso nas apresentações. Os modelos de economia política neoclássica eram totalmente novos para mim. Os resultados não me impressionaram: não há evidências de que a política monetária brasileira sofre efeitos eleitorais.

Depois, compareci à seção “Política Social e Desenvolvimento”, com os técnicos do IPEA, e não gostei muito. Achei tudo um tanto superficial, mas acho que tinha o viés da grande maioria dos trabalhos complexos que eu tinha assistido em todo o encontro.

À tarde, compareci na seção “Economia da Educação”, presidida pelo professor André Portela de Souza (FGV-SP). Os pesquisadores pareciam todos jovens alunos da pós-graduação. Os temas eram muito interessantes. Contudo, nessa seção, mais do que em todas as outras, senti o peso dos métodos econométricos dominando a preocupação dos pesquisadores, o que inclusive acabou tirando espaço da própria teoria econômica envolvida nos trabalhos. Me lembrou muito a palestra da McCloskey no dia anterior. O destaque da seção foi o emocionado Vladimir Ponczek (FGV-SP) explicando mecanismos de barganha intra-familiar para mostrar a importância da renda dos avôs (mas não tanto das avós) para a freqüência à escola por parte dos netos.

Por fim, assisti à seção “Desigualdade no Brasil”. Nessa seção, a Tatiane Menezes (Pimes-UFPE) apresentou um estudo empírico mostrando a desigualdade pessoal e regional de renda por meio dos gastos com consumo nas regiões metropolitanas brasileiras. Para isso, explorou o banco de micro-dados do POF. Depois, um pessoal da UFRJ falou sobre a importância das tarifas de energia como instrumento de política contra a desigualdade. Por fim, o Fábio Vaz, do IPEA, apresentou um modelo de escalas de equivalência para estimar indicadores de desigualdade no Brasil.

Confesso que muito do que eu assisti não consegui acompanhar e entender, sobretudo as questões mais técnicas. Mas o encontro foi muito produtivo academicamente a todos os participantes. Senti que aprendi bastante nesses três dias.

Um comentário:

Fernando Gonçalves disse...

Infelizmente perdi esse congresso,mas sua narração ficou ótima e deu pra sentir o gostinho
abraços